XVI ENCONTRO DE PESQUISA E EXTENSÃO - XVI ENCOPE/UERN – Mossoró - 14 a 16 de abril de 2010


OTIMIZAÇÃO DE MÉTODOS PARA PRODUÇÃO DE PERFUMES CASEIROS

Jéssica Nayara Costa e Silva1, Luiz Di Souza 2 (Orientador), Ozaina Alves Targino 3 (Co-autor), Emidianeide Rodrigues Nunes 4 (Co-autor), Antonia Necy de Lima Moraes 5 (Co-autor)

Perfume é uma mistura de compostos, geralmente liquido com mais de uma substância, cujo constituinte principal é a essência de cheiro agradável, de origem natural ou sintética. As de origem natural são geralmente extraídas de plantas, enquanto as sintéticas são preparadas no laboratório. Os constituintes mais comuns dos perfumes são álcool, essências, fixador, propileno glicol e água. A essência e o fixador são os constituintes principais, tendo este o mérito de melhorar a qualidade do perfume sem alterar a composição dos outros constituintes diminuindo o processo de volatilização e aumentando o tempo de uso. Alguns destes ingredientes são alergênicos até mesmo em pequenas quantidades, causando riscos a quem os usa. Hoje em dia com a comercialização em massa e  desenvolvimento da tecnologia de produção, a sua fabricação transformou-se em um trabalho que exige grande perícia, conhecimento químico e cuidado com os riscos que podem causar. Apesar disso, não é raro encontrar fabricantes de perfume usando matérias primas sintéticas e vários métodos de produção, sem nem mesmo o conhecimento básico de química, No tocante a qualidade, o perfume depende da forma como é produzido, da qualidade das matérias primas utilizadas e das condições em que vai ser utilizado. Esse trabalho teve por objetivo desenvolver um método para a fabricação de perfumes adequado a região de Mossoró, testando, modificando e produzindo o mesmo a partir do conhecimento químico básico obtida na literatura e de receitas disponíveis na internet. As modificações foram feitas para produzir perfumes de boa qualidade e baixo custo. Para isto pesquisou-se sobre a origem, características e técnicas de fabricação de perfumes, selecionando receitas, testando-as e modificando-as até a obtenção do perfume ideal. Nos testes levou-se em consideração as temperaturas de cada região, a eficácia, o rendimento e o custo final do perfume. No laboratório foram feitas medidas de pH, T e condutividade elétrica do perfume em função do tempo de maturação, para vários perfumes feitos com água da torneira, destilada e deionizada. Em seguida foram produzidos, por diferentes métodos, perfumes em pequenas quantidades com os produtos químicos adquiridos no comercio local. A seguir as amostras foram submetidas a uma pesquisa popular, selecionando-se a melhor. Após a seleção, o perfume foi reproduzido em grande quantidade e comercializado para a cobertura das despesas do projeto. Os resultados mostram que para os mesmos constituintes, porém com métodos diferentes se obtém perfumes com diferentes características e eficácia. Estas características dependem da concentração das matérias-primas, da pureza da água, da volatilidade dos constituintes e do método de fabricação. Os resultados mostram que a água mais indicada é a deionizada por possuir menor condutividade, maior pureza e atingir a estabilidade de maturação mais rapidamente.


Palavras-chave: perfumes, métodos produção propriedades físicoquímicas.

1 Aluno de graduação de Química do Campus Universitário Central
2 Professor do Departamento de Química - FANAT
3 Aluno de graduação de Química do Campus Universitário Central
4 Aluno de graduação de Química do Campus Universitário Central
5 Aluno de graduação de Química do Campus Universitário Central

ISBN: 978-85-7621-012-2